Este artigo foi um dos dois mais bem avaliados trabalhos do Grupo de Trabalho 5 no XIX ENANCIB (2018). Resumo: a gestão da informação do Pacto pela Vida do estado de Pernambuco evidencia a relação entre informação, política e poder. A sistemática de monitoramento, oriunda do modelo de gestão por resultados Todos por Pernambuco, pressupõe o uso intensivo de informações precisas e pertinentes. Para tal fim, o governo criou condições estruturais, instrumentais e políticas para que a informação se tornasse um dos elementos de suporte à avaliação das políticas públicas e à tomada de decisão. O objetivo é sumarizar os principais resultados que evidenciam a relação entre informação, poder e política no âmbito do Pacto pela Vida. Teoricamente, o estudo apoia-se no pluralismo teórico da informação descrito por Braman (1989; 2009). Os procedimentos metodológicos são compostos por análise de conteúdo das entrevistas e da legislação do Pacto pela Vida; para tal finalidade, utilizou-se o software NVivo. Conclui-se que a informação está na gênese do processo de monitoramento e avaliação bem como na base dos poderes instrumental, estrutural, simbólico e informacional. Ela é usada para exercer controle sobre indivíduos, instituições, processos, resultados, moldar comportamentos, criar e propagar ideias e imagens, enfim, criar no imaginário dos atores governamentais e não governamentais a confiança dos benefícios do novo modelo de condução do Estado.

Acesso ao texto completo aqui.

- rodrigo

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *